quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Gato em Telhado de Zinco Quente


Era o meu pai quem falava muito no filme, que ele passara nos tempos áureos do Cinema Quarteto, numa daquelas sessões de filmes antigos. Eu nunca o vi. Mas o nome do filme sempre me fez confusão, desde pequena, por imaginar que a gata se queimava no zinco quente.

Foi em África que encontrei a explicação!

Há por aqui um gato dos telhados que dorme a meio da manhã e a tarde inteira no telhado de zinco quentinho de uma casa do Bairro. 

Refolga-se todo. Deita-se de lado e ali fica. Às vezes até lhe sobem as patas para o ar, e deixa-as abertas, de satisfação. Deve pensar que é um Aristogato. 

Que ricas sonecas é desavergonhadamente apanhado a fazer. Quer da janela da cozinha, quer da janela do quarto espreitamos e lá está ele, bicho de hábitos, sempre no mesmo lado do telhado.
 
Ontem fui espreitá-lo em plena sorna e deu-me cá umas invejas… que decidi fazer o mesmo. Não sei como será em zinco quente, mas na cama, ah recomendo umas sonecas a meio da manhã e a meio da tarde como belíssimas regalias de férias. 

Ao vê-lo assim deitado em sossego, engana-nos bem. Parece um ‘sopinhas de leite’! 

Mas é um gato complicado. Passa a vida em zaragatas. Não há noite desde que cá estou que não o tenha ouvido numa bulha. É um daqueles gatos refilões. Devem ser assuntos de miúdas a julgar pela algazarra.

Mas já percebi que às vezes até se envolve com cães. Qualquer dia está o ‘caldo entornado’.

Mas para mim o que é importante é ter resolvido este mistério:

O que faz um gato em telhado de zinco quente afinal?...

Dorme quente e descansado!